Descrição

Campeão de vendas, Jalapão vem crescendo na lista de melhores destinos no Brasil. Dono de uma beleza rustica te levará a uma viagem única entre dunas, morros, serras, cachoeiras, fervedouros e o inigualável clima do cerrado Brasileiro.
Durante a expedição está incluso refeições, taxa de acesso aos atrativos, transfer do aeroporto ao Hotel em Palmas e vice versa, hospedagem durante a expedição em Mateiros e São Felix e hospedagem em Palmas no primeiro e último dia de viagem.
É sempre bom viajar e conhecer lugares novos, venha para o coração do Brasil e sinta essa energia que só se encontra em Tocantins.

Local e Horário de embarque e chegada

O primeiro e último dia são reservados para o receptivo e despedida do nosso grupo por não estar incluso o aéreo, tendo o check-in liberado as 13h00.
Colocaremos a disposição um transfer que fará o deslocamento do aeroporto para o hotel em Palmas e vice versa.

Duração

É um roteiro de cinco dias de viagem, sendo 3 dias de expedição.

O que faremos

1° DIA Este dia é exclusivo para o receptivo de nosso grupo, o check-in está liberado as 13h00. O dia é livre para passearem ou descansar da viagem, para iniciar nossa tão esperada expedição. Ficaremos hospedados no Hotel Atlas em Palmas – TO, muito bem localizado e próximo a malha comercial da cidade, ele está a apenas 1km do Palmas shopping, o Atlas Hotel oferece acomodações com piscina ao ar livre, Wi-Fi gratuito, cama box, recepção 24 horas e serviço de quarto.
2°DIA ( 225 km – estrada de terra) Hoje podemos descansar um pouco mais, o café estará disponível as 07h30, 8h00 check-out e 08h00 embarcamos para mais um dia de expedição. Teremos hoje quatro atrativos – Canyon da Sussuapara; Cachoeira da Velha; Prainha do Rio Novo e Dunas do Jalapão. Neste dia será servido um lanche na trilha substituindo o almoço após visitarmos o Canyon da Sussuapara. CANYON DA SUSSUAPARA (Local: Ponte Alta do Tocantins) Paredões de rochas areníticas de aproximadamente 15 metros de altura compõe o cenário para receber uma pequena cascata, rezam as lendas que se você entrar debaixo da queda d’agua de olhos fechados e fazer um pedido ele se realiza ( acho que vale a pena tentar). Nos paredões úmidos, onde a água desce pelas raízes das árvores, crescem samambaias e musgos, vegetação muito diferente da que se vê no restante do Jalapão, devido a umidade o clima se torna bem mais agradável, nos fazendo esquecer um pouco do calor do deserto brasileiro. CACHOEIRA DA VELHA (Local: Mateiros – TO) Sendo a maior cachoeira do Parque Jalapão, a Cachoeira da Velha nos encanta com seus 100 metros de largura e 15 metros de queda d’agua. O acesso para a apreciação da cachoeira só pode ser feito através de uma ponte de madeira, não permitindo ver toda sua extensão devido sua formação circular. O que nos chama muito a atenção, além da força da agua é uma arvore que cresce entre meios a cachoeira PRAINHA DO RIO NOVO (Local: Mateiros – TO) Localizada a poucos metros da Cachoeira da Velha, encontramos a Prainha do Rio Novo, formada por uma extensa faixa e areia branca e aguas límpidas e tranquila, é considerado um dos maiores rios de água potável a nível mundial, ela se faz perfeita para a prática de mergulho e para repousar por ter vários pontos de sombra. Mas deixamos um alerta, apesar de sua superfície ser calma, o Rio Novo possuí uma forte correnteza, então não indicamos que façam a travessia dele a nado. Com a utilização do snorkel, poderá ser observado a vida subaquática, uma experiência inesquecível. DUNAS DO JALAPÃO (Local: Mateiros – TO) Depois das altas temperaturas, as Dunas de Jalapão é um dos motivos do parque ser apelidado de “Deserto Brasileiro”. Criado através da erosão das serras rochosas da região ao longo do tempo, o local enche nossos olhos com seus vários tons de dourado, pequenos pontos verdes da vegetação rasteira típica da região e alguns pontos azuis dos rios que completam este cenário bruto e encantador. Nas Dunas também pode se observar a Serra do Espirito Santo, local muito conhecido em cartões postais, O pôr do Sol nas Dunas???? Não existe palavras suficientes para descrever o quão maravilhoso é, apenas vivendo o momento para você entender o que estou dizendo! mas garanto…é inesquecível e mágico Agora seguimos para a Pousada do Baixim, localizada em Mateiros para o check-in. Uma pousada familiar muito aconchegante, banheiros individuais em cada quarto, piso de porcelanato, ar condicionado e wi-fi, o jantar estará disponível aproximadamente as 19h30, a noite é livre para passearem ou descasar e sonhar com o dia maravilhoso que tiveram.
3° DIA ( 120 km – estrada de terra) Para quem tem muita disposição e quer viver intensamente cada pedacinho deste roteiro, temos uma opção de passeio, porém este é pago a parte. Sairemos as 03h30 da manhã para realizar uma trilha na Serra do Espirito Santo e contemplar o nascer do Sol do com toda sua maestria e esplendor, o valor do passeio é R$150,00 e deve ser pago para a equipe local. O café da manhã será servido na pousada juntamente com todo o grupo as 07h30, 08h40 será feito o check out e 9h00 embarcamos nos veículos dando sequência a nossa fantástica expedição rumo à São Felix . Também com quatro atrativos, hoje é o dia tão esperado, iremos para os tão comentados fervedouros, nosso almoço será realizado após visitarmos uma comunidade local. O roteiro do dia será: Fervedouro do Ceiça; Comunidade Quilombola Mumbuca (berço do artesanato de Capim Dourado); Fervedouro do Buriti e Cachoeira do Formiga. FERVEDOURO DO CEIÇA (Local: Mateiros – TO) Sendo o mais visitado do parque Jalapão, o fervedouro do Ceiça é formado por um solo bem delicado de nascente forte, cercado por bananeiras e de aguas límpidas, o Ceiça é nosso queridinho por sua beleza natural e facilidade de flutuação, a força da agua que brota nele ajuda na pratica de flutuação. Como é um local que exige muito cuidado em sua manutenção o acesso ao fervedouro é controlado e liberado apenas seis pessoas por vez. COMUNIDADE QUILOMBOLA MUMBUCA (Local: Mateiros – TO) Reconhecida como quilombola pela Fundação Palmares – é uma espécie de grande família que se originou de remanescentes de quilombolas e indígenas que habitavam a região. A base da economia local é o artesanato de capim dourado e a agricultura familiar, em que homens e mulheres têm papéis bem definidos: eles cuidam do cultivo das roças e as mulheres da colheita e da fabricação de farinha de mandioca. Uma vez por ano, geralmente em setembro, é realizada a festa da colheita do capim dourado com manifestações culturais, cantorias e rodas de conversa que têm o objetivo de manter as tradições FERVEDOURO DO BURITI (Local: Mateiros – TO) O Fervedouro do Buriti nos encanta com suas aguas que variam de cor entre o verde e azul de acordo com a luz solar e também por grandiosos Buritis que cercam o local. O termo buriti é a designação comum das plantas dos gêneros Mauritia, Mauritiella, Trithrinax e Astrocaryum, da família das arecáceas. O Local tem capacidade de até 10 pessoas por vez por tem um espaço mais amplo para o lazer, de fácil nível de flutuação é perfeito para aproveitar e tirar algumas fotos subaquáticas, logo na entrada há uma casinha de madeira que ajuda a se proteger do sol e quem já está na piscina, pode se abrigar debaixo das bananeiras. CACHOEIRA DO FORMIGA (Local: Mateiros – TO) Entre meio a árvores, samambaias e palmeiras nativas, temos a famosa Cachoeira do Formiga, que é uma pequena cachoeira com forte pressão de agua se tornando uma perfeita hidromassagem. Diferente de outras cachoeiras, sua agua não é tão gelada. Sua água é muito transparente e mesmo no lugar mais profundo pode-se ver a areia calcária branca e fina. Após este longo dia cheio de emoções e paisagens deslumbrantes, seguimos para a Pousada da Irá, para o check in, o Jantar estará liberado por volta de 19h30.. a noite como sempre é livre para vocês descansarem ou visitar a pequena comunidade.
4° DIA (150km estrada de terra + 110 km em asfalto) Nossa viagem está chegando ao final, e para nosso último dia de expedição, reservamos 5 pontos turísticos, o café da manhã estará disponível as 07h00, peço que já saiam dos quartos com suas malas e deixem para os jipeiros já organizarem enquanto faremos o check out na pousada, as 8h00 já iniciamos nossa viagem. O almoço será feito na Cachoeira da Arará. FERVEDOURO BELA VISTA (Local: São Felix – TO) Com sua coloração azul-esverdeada, o Fervedouro Bela Vista foi destacado como o mais belo dentre os fervedouros do parque, seu acesso pode ser feito através de uma plataforma de madeira. De água cristalina e a areia branca formam um poço impossível de afundar, propiciando uma experiência única e indescritível. FERVEDOURO DO ALECRIM (Local: São Felix – TO) O Fervedouro do Alecrim é muito parecido com o Bela vista, tanto em beleza, estrutura e tamanho, porém, enquanto o Bela vista é azul, o Fervedouro do Alecrim é extremamente verde. Uma cor única entre os fervedouros do Jalapão. A piscina do Fervedouro do Alecrim tem uma grande nascente principal, onde a pressão da água é maior, facilitando a flutuação, há também outras fontes menores que também permitem a diversão. A capacidade desse fervedouro é de seis pessoas por vez. CACHOEIRA DA ARARÁ (Local: São Felix – TO) Um lindo cenário verde com queda d’agua de aproximadamente 30 metros e outra um pouco menor, em um paredão com cores inigualáveis, a cachoeira será nosso parada para o almoço que já estará reservado, um maravilhoso tempero caseiro para deixar vocês com gosto de quero mais. O local também pode ser aproveitado para se refrescar ficando no grande poço de água ou mesmo ficar sentado nos banquinhos naturais feitos com troncos de árvores que estão dentro da cachoeira, a queda d’agua não é tão violenta então podemos curtir bastante todos os cantos e se refrescar um pouco. MORRO DA CATEDRAL (Local: Vila Oeste, Paraíso do Tocantins – TO) Com 180 metros de altura, Morro da Catedral é atração do Jalapão. Ela nos impressiona com suas esculturas de milhares de anos, fica em reserva reconhecida como patrimônio natural e tem a altura equivalente a um prédio de 60 andares. Sua Formação rochosa localizada à beira da estrada, que muito lembra uma Catedral. Vale parar para fotografar. Conhecida como Morro do Mandacaru pelos nativos, a Serra da Catedral fica entre São Félix do Tocantins e Novo Acordo. Agora seguimos para Palmas, faremos uma pausa no caminho para o nosso jantar de confraternização aonde trocaremos nossas experiências, daremos boas risadas e degustaremos uma comida deliciosa em comemoração a estes 4 dias maravilhosos que passamos juntos. O check in será feito as 21h00 no hotel. E para não ficar diferente dos outros dias, a noite é livre para vocês.
5° DIA Nosso último dia de viagem começa bem cedinho e já com lágrimas de saudades, as 06h30 o café da manhã estará servido mas não temos mais atrativos, o dia é livre para vocês…. O check out deve de ser feito até as 12h00. Nosso motorista entrará em contato para saber quais horários de embarque e leva-los até o aeroporto.

O que incluí

Hospedagem : 2 Diárias (primeiro e ultimo dia) Hotel Atlas em Palmas, dispõe de acomodações com piscina ao ar livre, Wi-Fi gratuito, cama box, recepção 24 horas e serviço de quarto. 3 dias nos vilarejos de Mateiros e São Félix. Todas com ar condicionado e wi-fi.
Transfer: O deslocamento entre um atrativo e outro é realizado em veículos 4×4 extremamente confortáveis e com ar condicionado.
Refeições: 4 cafés da manhã, 2 almoços, 3 jantares, 1 lanche trilha
Atrativos: Canyon da Sussuapara, Lagoa do Japonês, Pedra Furada, Cachoeira da Velha, Prainha do Rio Novo, Dunas do Jalapão (contemplação do por do sol), Fervedouro do Ceiça, Comunidade Quilombola Mumbuca (Berço do artesanato de capim dourado), Fervedouro do Buriti, Cachoeira do Formiga, Fervedouro Bela Vista, Fervedouro do Alecrim, Cachoeira da Arará, Morro da Catedral.
Adicional: Seguro Viagem, Guia Local

O que não incluí

Bebidas durante as refeições
Refeições não mencionadas
Despesas de Caráter pessoal.
Aéreo: São Paulo X Palmas e Palmas X São Paulo
Trilha da Serra do Espírito Santo, Valor de R$150,00 pago no local

Transporte

O deslocamento entre um atrativo e outro é realizado em veículos 4×4 extremamente confortáveis e com ar condicionado.
O deslocamento entre aeroporto e hotel é feito em carro executivo.

O que levar

Orientamos levar Agasalho (quem for fazer a Serra do Espirito Santo) Boné, Chapéu, Óculos de Sol, Capa de chuva (pode ser descartável)
Para quem achar necessário poderá levar secador, chapinha e etc, pois não são todos os quartos do hotel que possuem os mesmos.
Obrigatório ou altamente recomendado levar Roupa de banho (sunga, bermuda, biquíni, maiô) – para banho nas cachoeiras e fervedouros. Roupa para os passeios e atividades (roupas leves que facilitem a movimentação das articulações para as trilhas) Roupa reserva (Viagem ida e volta, troca de roupa para pós passeios, noite livre Bolsa reserva (Bolsa reserva serve para levar alguns iténs de mão. Pois a mala de viagem ficará lacrada no veículo, só podendo ser acessada quando chegarmos nas hospedagens) Calçado confortável (já amaciado e não novo) Calçado Reserva e Chinelo Material de higiene pessoal, Toalha de banho, Repelente e Protetor Solar, Dinheiro, a grande maioria dos lugares não aceita cartão, somente pagamento em dinheiro. Saco para descarte de lixo, (todo lixos gerados nos passeios em mata devem ser recolhidos) Medicamento de uso contínuo (favor comunicar a equipe quanto o uso de remédio na ficha médica enviado)

Condições de Cancelamento

Cancelamento por parte da operadora: Para confirmar a saída deverá haver um mínimo de 05 pessoas, caso não atinja o número a viagem será remarcada, e o cliente pode escolher ser restituído do valor, ou deixar de crédito para a nova data ou outras viagens.
Cancelamento e desistência por parte do cliente: O valor em percentual a ser restituído será de: (de acordo com a deliberação normativa nº 161 de 09 de Agosto de 1985, da EMBRATUR): 90% até 31 dias do início da viagem; 80% de 21 a 30 dias do início da viagem; 0% a menos de 20 dias do início da viagem. O não comparecimento no local de embarque caracteriza em desistência por parte do Contratante, resultando na aplicação das penalidades previstas acima (15 minutos de tolerância, após esse tempo a viagem segue).