Descrição

Neste feriado de São Paulo, iremos fugir da cidade e se esconder entre as grutas e galerias do Parque Estadual Turístico Alto do Ribeira. Criado em 1958 e classificado como um dos parques mais antigos do estado de São Paulo temos um verdadeiro paraíso escondido contendo lindas quedas de águas cristalinas, com 35mil (ha) sendo grande parte Mata Atlântica, localiza-se no sul de São Paulo a 320km da Capital, entre as cidades de Iporanga e Apiaí. Também conhecido como “Parque das Cavernas” por conter mais de 350 cavernas cadastradas através do SBE- Sociedade Brasileira de Espeleologia, sendo 12 abertas para visitação, entre elas “Caverna da Água Suja”, “Caverna da Casa de Pedra” Caverna de Santana”, “Caverna Morro Preto” entre outras. As cavernas existentes oferecem vários níveis de desafios, desde enormes rios com escaladas, mergulhos e rapel, algumas contendo estruturas turísticas, como escadas, passarelas e pontes. Um paraíso encantador aos admiradores da natureza, ideal para prática de esportes de aventura como boia cross, cascading, bike. É muito comum na região espécies de fauna e flora, aves de todos tipos como Socó boi escuro, Gavião de Penacho e também espécies de bromélias, orquídeas e umas das espécies mais importantes da Mata Atlântica o Palmito Juçara.

Local e Horário de embarque e chegada

Embarque: 22h30 – Embarque Suzano/SP 23h40 – Terminal Rodoviário Barra Funda/SP.
Desembarque: 21h00 – Terminal Rodoviário Barra Funda/SP 22h00 – Suzano/SP
**Horário de embarque tem 15 minutos de tolerância, após esse horário será considerado “no show” e o transporte segue viagem**
**Horário de desembarque poderá sofrer alteração em casos de transito ou força maior**

Duração

4 dias

O que faremos

Dispondo de dois pontos de embarque (Suzano 22h30 e São Paulo 23h40) seguimos nossa viagem para o parque com previsão de chegada as 6h00 da manhã, aonde iniciaremos nossas atividades na Caverna do Diabo – A Gruta da Tapagem, ou mais conhecida como Caverna do Diabo, é uma gruta cheia de lendas e mistérios. Formada por vários tipos de curiosas estalactites, estalagmites, cortinas de pedras e cascatas de calcita, que a mais de 100 anos segue intrigando especialistas e turistas que tentam desvendar os mistérios do lugar. O local dispõe de infra estrutura para a recepção do ecoturismo, como sistema de luz, passarelas, escadas e corrimãos. Porém, mesmo com toda esta estrutura este roteiro exige um bom preparo físico para passar pelos sobes e desce em seu interior.
Ao final desta galeria, encontra-se um lago de águas represada do Ribeirão das Ostras, aonde iniciamos a trilha popularmente conhecida como trilha do Vale das Ostras. O Vale das Ostras é formado pelo Ribeirão das Ostras, o rio que atravessa a Caverna do Diabo. Após deixar a caverna, o ribeirão percorre um trajeto até desaguar no rio Ribeira de Iguape, passando por diversas cachoeiras, inclusive a Queda de Meu Deus, com seus imponentes 53 metros de queda d’água, foi considerada uma das mais belas do estado de São Paulo, sua origem está numa nascente em área fechada, que atravessa quatro quilômetros no interior da Caverna do Diabo. O acesso mais curto para a bela cachoeira é uma caminhada de dificuldade média (uma hora), que passa por piscinas naturais com água cristalina e três quedas menores. As 18h00 nossa aventura se encerra e seguimos para a pousada, após o jantar que será servido as 20h00, a noite ficará livre para repousarem ou conhecer os arredores.
Nosso terceiro dia de viagem começa bem cedinho, com um delicioso café da manhã, servido as 06h30. Às 07h30 embarcamos rumo ao núcleo Santana. Dentre as quatro cavernas liberada para visitação conheceremos três de acordo coma disponibilidade do parque, estas são: Caverna Santana (Nível I – Fácil). A Caverna Santana é a segunda maior caverna do estado de SP é uma das mais bonitas do Brasil. Possui a maior quantidade de formações rochosas, como estalagmites, estalactites e as raras formações conhecidas como flores de aragonita. Formações esculpidas na rocha pela ação da água da chuva, várias galerias que foram formadas pelo rio roncador, que corre hoje na parte inferior da caverna. Você vai usar bastante a imaginação e ficar maravilhado com as belezas dessas formações. Caverna Morro Preto (Nível I – Fácil). A Caverna foi habitada por povos primitivos à milhares de anos, e foram encontrados muitos vestígios arqueológicos dentro dela. Tem um imenso salão que houve um desmoronamento no passado, e se formaram as duas cavernas, Morro Preto e Couto. Caverna do Couto (Nível I – Fácil). Caverna que possui em sua entrada em uma boca bem pequena. Para quem quiser se aventurar a recompensa será a visão de um grande jardim natural que se forma do outro lado do morro, em sua outra boca. No interior desta caverna, se encontra a ressurgência das águas que vêm da Caverna Morro Preto Caverna Água Suja (Nível I – Fácil). A entrada da caverna é maravilhosa, onde um rio de águas límpidas sai de seu interior. O teto é bem alto, quase não da pra ver o limite, as estalactites são gigantes e ainda tem uma cachoeira no seu interior de tirar o fôlego. Sendo a preferida pela galera radical, em algumas partes a água chega até a cintura. Os guias fazem várias dinâmicas, que deixa a caverna ainda mais emocionante. As 17h30 nossa aventura se encerra e seguimos para a pousada, após o jantar que será servido as 19h00, a noite ficará livre para repousarem ou conhecer os arredores.
No quarto dia e último dia de viagem, tomaremos o café da manhã as 07h00, as 07h30 partiremos para o Núcleo Ouro Grosso, aonde conheceremos duas cavernas sendo elas: Caverna Ouro Grosso (Nível I – Fácil). A partir da portaria segue-se uma trilha de 20 min., cortada pelo córrego Ouro Grosso, possui cinco cachoeiras em seu interior, logo o percurso todo é feito por água. Considerada uma das mais radicais da região, em muitos lugares o acesso é dificultado por garrafões (pequenas aberturas) e trechos acidentados. A caverna é uma aventura única, cheia de adrenalina e no final, um banho de cachoeira merecido! Caverna Alambari (travessia – Nível I – Fácil). Esta caverna proporciona uma das experiências mais emocionantes que o visitante pode levar do PETAR. Sua entrada é gigantesca, com bela vista dos raios solares ao amanhecer. Um rio no seu interior dá a emoção desejada pelos aventureiros. Em alguns trechos é necessária a ajuda de cordas pois a água ultrapassa a altura da cintura. A travessia é feita até o outro lado do morro, um misto de trechos secos e com água. As 12h30 nossa aventura se encerra e seguimos para a pousada, após o almoço que será servido as 14h00, faremos o check-out as 15h00 com destino a São Paulo e previsão de chegada 21h00
Será um feriado emocionante, cheio de aventuras e novos amigos!

O que incluí

Transporte Ida e volta
Hospedagem – Pousada: 3 diárias em quartos simples com ventilador, tv, frigobar, banheiro, wi-fi e piscina.
Refeição: 3 – Café da manhã 1 – Almoço 2 – Jantar 2 – Lanche Trilha
Atrativos: Entrada no Parque PETAR
Equipamentos de Segurança para visitação nas Cavernas
Adicional: Brinde Operadora SOAR, Seguro Viagem (GTA – Global Travel Assistance), Guia Local Condutor Operadora SOAR

O que não incluí

Refeições não mencionadas
Bebidas
Despesas de caráter pessoal

Transporte

Micro Ônibus ou Ônibus Executivo

O que levar

Orientamos levar: Agasalho. Chapéu ou boné. Capa de chuva.
Obrigatório ou altamente recomendado levar: Peças de roupas para caminhada nas cavernas, é obrigatório o uso de roupas fechadas como calça de moletom ou legging, camiseta, sapato fechado (que tampem o peito do pé). Roupas que facilitem a movimentação das articulações. Bota ou tênis com solado aderente, já amaciado e confortável. (Proibido o uso de calçado de salto ou aberto para entrada nas cavernas). Roupa extra para o retorno (viagem de volta e noite livre). Toalha de Banho. Mochila pequena de tamanho suficiente para seus pertences. Squeeze ou garrafinha de água. Repelente (Principalmente para quem for alérgico a insetos). Dinheiro, pois alguns locais não aceitam cartão de crédito / débito. Medicamentos de uso pessoal. Kit de higiene pessoal. Documentos pessoais. Protetor solar.
“Não nos responsabilizaremos por danos causados por queda ou umidade à equipamentos eletrônicos.”

Condições de Cancelamento

Cancelamento por parte da operadora: Para confirmar a saída deverá haver um mínimo de 10 pessoas, caso não atinja o número a viagem será remarcada, e o cliente pode escolher ser restituído do valor, ou deixar de crédito para a nova data ou outras viagens.
Cancelamento e desistência por parte do cliente: O valor em percentual a ser restituído será de: (de acordo com a deliberação normativa nº 161 de 09 de Agosto de 1985, da EMBRATUR): 90% até 31 dias do início da viagem; 80% de 21 a 30 dias do início da viagem; 0% a menos de 20 dias do início da viagem. O não comparecimento no local de embarque caracteriza em desistência por parte do Contratante, resultando na aplicação das penalidades previstas acima (15 minutos de tolerância, após esse tempo a viagem segue).

Observações

Roteiro não indicado para menores de 11 anos