Carregando...

Dicas de Redação para Pacotes de Viagens e Atividades Turísticas

Dicas de Redação para Pacotes de Viagens e Atividades Turísticas

Dicas de Redação para Pacotes de Viagens e Atividades Turísticas

"Em alguns anos vão existir dois tipos de empresas: as que fazem negócios pela Internet e as que estão fora dos negócios." Bill Gates

Escrevendo para clientes e para buscadores (Google, Yahoo etc.)
O mundo mudou e a forma como as pessoas e empresas compram serviços de viagens também está mudando a passos largos. Nesta dica de ouro você entenderá como apresentar seus roteiros e serviços de turismo, como inserir neste contexto tecnológico globalizado, como a internet permite agregar mais valor ao seu negócio para vender mais e melhor.

Trataremos aqui de redação específica para internet, pois a descrição do Roteiro Turístico deve ser de fácil compreensão e objetiva, contudo deve possuir informação precisa, com fotos e vídeos, comentários e avaliações de outros visitantes que validem o Roteiro / Passeio. Um texto bem organizado e distribuído facilitará a localização das principais informações.

Ao divulgar seu roteiro turístico tente integrar conteúdo relevante que encante o viajante e que contenha palavras-chaves, permitindo que o produto seja encontrado pelos buscadores do Google, Yahoo, entre outros, alcançando assim todo o território brasileiro.

Os roteiros turísticos devem ser redigidos de modo a induzir a decisão de compra pelo viajante. Cabe a você que planejou o percurso traduzir numa linguagem que sensibilize o turista, a fim de que ele perceba que suas necessidades serão atendidas por meio do roteiro oferecido. Para que isso aconteça, você deverá deixar claro qual o diferencial do seu produto em relação aos demais concorrentes.

A mensagem deverá ser clara e objetiva, pois textos longos tendem a dispersar o leitor. Logo, um texto bem escrito para a internet, deve ter o tema e palavras-chaves com forte relação com o título e subtítulo. Feito isto, há grande chance dos robôs do Google e Yahoo indexarem o seu roteiro nos buscadores. Ou seja, organizar em forma de índice como, por exemplo, é feito na biblioteca.

No exemplo de roteiro turístico que darei em seguida, quebrarei um texto longo e corrido em diversos subtítulos, separarei o texto em partes principais, abordando o passeio de modo que agrade o leitor. Todo subtítulo tem 02 objetivos que são de transmitir seu conteúdo e garantir que a próxima frase seja lida, destacando o que as pessoas estão procurando, de forma objetiva.

Há outra coisa, ao longo da explicação revezarei as palavras-chaves roteiros turísticos e passeios turísticos porque elas praticamente se equivalem na quantidade de vezes em que são digitadas nos buscadores. Estou falando em média de 12 milhões de pesquisas como resultado de busca para cada uma delas. Isso é muito importante. Façam o teste.

Empregarei o modelo de formulário do Portal Viagem 2.0 - www.viagem20.com.br, pois o texto será dividido em títulos e subtítulos. Ilustrarei a redação com um simples roteiro junto a uma cachoeira. Acompanhe as dicas que passarei apresentar.

Título - Nome do Passeio:
O título é o item mais importante, pois sinaliza para os visitantes as características do roteiro e permite também que seja indexado pelos buscadores, facilitando seu encontro durante a pesquisa no Google, Yahoo, entre outros. Em última análise, se quiser que seu texto seja lido, deverá empenhar na criação de um ótimo título. Vamos ao exemplo:
Cachoeira da Fumaça: Linda caminhada pelo Parque Nacional da Serra do Cipó / MG.
Neste exemplo indicamos o que será feito: Visita, onde será feito: - PNSC/MG, e como será feito - caminhando. Ainda o titulo é chamativo, sugestivo e emprega palavras que são de fácil entendimento e autopromoção.

Descrição:
A descrição deve apresentar o roteiro de forma objetiva, narrar sobre os encantos da região, as melhores atrações turísticas, enumerar os pontos turísticos a ser visitado, caminhos a percorrer, reservas para alimentação e hospedagem, particularidades que diferenciam o roteiro. É sempre bom repetir as palavras-chaves, mas sem cometer exageros.
Ex.: Neste passeio turístico faremos uma caminhada e visita a Cachoeira da Fumaça, localizada dentro do Parque Nacional da Serra do Cipó. Suas águas são puras, a paisagem é exuberante revelando toda a beleza da fauna e flora formada pelo cerrado. Durante a caminhada atravessaremos riachos e ao final acessaremos a Cachoeira da Fumaça e sua piscina natural para um banho refrescante. Desfrutaremos de uma massagem natural formada por sua queda de água de 70m de altura.
OBS.: Evitaremos empregar caracteres especiais como ' ' @ / entre outros pois são empregados na programação e neste formulário podem desconfigurar seu conteúdo ou mesmo não ser salvo ao final.

Local e Horário de Embarque e Chegada:
O ponto de encontro bem definido evita atrasos na saída e no retorno. Logo, definir bem o endereço, com ponto de referência, bem como horário de apresentação e horário de saída evita contratempos e desentendimentos durante embarques.

Duração - Também cabe ao tema "O que faremos":
Tempo para percorrer o roteiro. Pode ser expressando em horas, por período da manhã ou tarde, o dia inteiro ou mais de 1 dia. Tal informação contribuirá para o planejamento do viajante. Neste exemplo sinalizaremos o seguinte: 
Tempo de caminhada até a Cachoeira da Fumaça: 2h para ida. Tempo de caminhada até a portaria do Parque Nacional da Serra do Cipó: 2h para volta. Tempo de permanência na cachoeira: 2h.

O que faremos:
Isso já foi pesquisado e inserido no roteiro durante o planejamento. Assim, o roteiro turístico é caracterizado por um conjunto de elementos que lhe conferem valor agregado e identidade. Deve conter informação que interessa ao visitante, para que desfrute de uma experiência genuína. É interessante resumir as atividades oferecidas, como, por exemplo, caminhada, degustações, contemplação... É nesta descrição que se tem a oportunidade de divulgar valores como de uma experiência culturalmente rica, ecologicamente correta, economicamente viável e socialmente justa. Deve anunciar qual segmento do turismo envolverá, podendo ser aventura, bem-estar, cultura, experiência e natureza, bem como por onde percorrerá, qual município, distrito ou região. Deve explorar as potencialidades culturais e/ou naturais do local ou região, viabilizando assim um produto turístico comercializável e competitivo.
Ex.: Atividade física leve; contemplação das belezas cênicas do Parque Nacional Serra do Cipó e registro fotográfico; familiarização com a fauna e flora do cerrado; conhecimento sobre a geografia e hidrografia da região formada pela Serra do Espinhaço; banho refrescante e massagem natural nas águas da Cachoeira da Fumaça, interação com a natureza.

O que inclui:
É aqui que aparecem os resultados das parcerias que viabilizam o produto, como na intermediação entre entidades ou estabelecimentos contratados para operação dos serviços prestados no roteiro ou atividade divulgados e comercializados. Em sua maioria, conta com atuação de entidades governamentais e não governamentais, pequenas e microempresas da cadeia produtiva do turismo local, estruturado para uma comercialização mais competitiva. O roteiro turístico pode ser estruturado com guias, traslado, refeição, lanche de trilha, bilhetes de entrada no parque, museu, atrativo etc.
Ex.: Taxa de entrada no Parque Nacional da Serra do Cipó; lanche de trilha; seguro contra acidentes, veiculo 4x4 no deslocamento entre a praça central e a portaria do Parque.  

O que não inclui:
Nunca é demais explicitar o que não faz parte do roteiro. Assim, evita-se constrangimentos durante o passeio. É aconselhável lembrar de tudo que não estiver mencionado no roteiro. No caso aqui exemplificado é o seguinte: Transporte veicular dentro do Parque; aluguel de bicicleta; aluguel de cavalo; bebidas alcoólicas durante as refeições; ingresso nos atrativos; gorjetas dos profissionais entre outras recomendações pertinentes ao roteiro.

Transporte - Também cabe ao tema "O que está incluso":

É a condução empregada para deslocamento do grupo. Esta informação é importante para tomada de decisão do visitante, seja pela aventura, seja pelo melindre de estar com animal, ou na água etc. Podem ser oferecidos transportes como van, ônibus, veículo 4x4, ou ainda condução especializada como barco, charrete, cavalos, bicicletas...
Ex.: Saída em veículo 4x4 a partir da praça do povoado até a portaria do Parque. Retorno da mesma forma.

O que levar:
Preparar uma mala de viagem ou uma mochila para passeio não é uma tarefa fácil como parece. Tem itens tão básicos que o turista acaba por esquecer. Ainda, dependendo do tempo de permanência, destino, ou tipo de viagem / passeio, o checklist precisa ser orientado com precisão.
Ex.: Para um passeio de várias horas com destino a uma cachoeira recomenda-se levar: Remédios de uso pessoal; protetor solar; óculos escuros; repelente para mosquitos; água e lanche; um par de roupas limpas e secas; celular para registrar pessoas e lugares; entre outras. Para uma viagem de mais dias, a um destino mais afastado, o checklist precisa ser ainda mais cuidadoso.

Condições de Cancelamento:
Multa máxima para cancelar pacote a menos de 29 dias da viagem deve ser de 20%, decide Superior Tribunal de Justiça (STJ). Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
Para saber mais:
Lei Geral do Turismo (Lei 11.771/08) / Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90) / Decreto nº 2521 de 20/03/1998 e as Normas NBR 15286 e 15331 para Turismo de Aventura / Deliberação Normativa 161 de 09/08/1985 da EMBRATUR.

Cancelamento por Capacidade de Carga:
É a quantidade mínima ou máxima de pessoas para viabilizar o roteiro. Para acontecer, o roteiro sai com o mínimo de 03 pessoas para propiciar economicamente a logística. Já o máximo de 15 pessoas se dá por limitação do veículo, do local a receber o grupo etc. É muito importante esta informação, porque conforme Deliberação Normativa 161 de 09/08/1985 da EMBRATUR, assegura ao operador cancelar o programa caso não tenha sido atingido o número mínimo de usuários.
Ex.: Mínimo de 03 pessoas e máximo de 15 pessoas. 

Ex.: O cancelamento do roteiro ocorrerá caso não tenha sido atingido o número mínimo de viajantes. 

Observações:

Informações, lembretes ou ressalvas específicas ao roteiro, que não foram citadas no conteúdo acima. Ex.: É proibida a coleta de plantas ou sementes no interior do Parque Nacional.
O que levar: São dicas e lembretes para o conforto e segurança pessoal do visitante. Enfim, é tudo aquilo que zele para o bem-estar durante o passeio e claro, a para tranquilidade do grupo também. Ex.: Levar mochila para guarda de pertences; chapéu ou boné; calçado e meias confortáveis; roupas leves e claras; óculos escuro; protetor solar; remédios de uso pessoal; água e lanche de trilha; máquina fotográfica.

Dicas que valem Ouro.

Fotos:

Este item faz lembrar do provérbio chinês de Confúcio que é sem dúvida conhecido mundialmente: "Uma imagem vale mais que mil palavras." O provérbio transmite o poder da comunicação através da imagem. Aqui, a imagem diz mais sobre o passeio do que sobre a palavra escrita ou falada. Então, quanto mais fotos melhor. A fotografia complementa o que está escrito em relação ao roteiro e, principalmente, sobre a felicidade dos clientes que nela aparecem. As fotos possuem a capacidade de descrever o lugar, a satisfação da pessoa e do grupo. Sintetiza tudo que foi apresentado no roteiro. Então, a partir de hoje, capriche na foto e solicite aos clientes que compartilhem imagens na página do roteiro e nas mídias sociais. É sucesso garantido.

Vídeos:

Pegando carona no provérbio chinês de que "Uma imagem vale mais que mil palavras", podemos assegurar que áudio e vídeo valem mais do que um milhão de palavras. Aqui a dica é a de publicar o vídeo no YouTube e depois criar o link através da URL ou endereço eletrônico na página do roteiro.

Avaliações:

Por fim, as avaliações e comentários são fundamentais para validar os roteiros, visto que outros clientes sentem mais seguros para comprar. Ao seguir estas dicas você estará garantindo maior visibilidade ao teu produto e consequentemente mais vendas.

Pós-venda:

É importante que, dias / semanas antes da viagem, o cliente receba os vouchers, as passagens e o roteiro especificando os aeroportos ou terminais (rodoviárias, portos) de embarque e desembarque; horário para check in e embarque; nome endereço e telefone de cada hotel em todas as cidades do roteiro; e telefone do operador local, caso haja.
"Quem não se comunica, se trumbica." (Chacrinha, o Velho Guerreiro).

Apertem o cinto e boa Viagem!

Crie Sua Agência Online Grátis
Publique roteiros, acompanhe as vendas, receba os 
vouchers e controle os acessos com QR Code via celular.

por Ted Machado 
Olá! Meu nome é Ted Machado. Sou Turismólogo, entusiasmado com tecnologia digital e deslumbrado com o potencial do turismo brasileiro. Vamos viajar!

Compartilhe:
Viagem 2.0 CNPJ: 07.959.068/0001.41 - Endereço: Av. Afonso Pena, 2.881, Funcionários, Belo Horizonte, Brasil.